Veja em quais técnicos estrangeiros o Flamengo está de olho após a saída de Renato Gaúcho
30/11/2021 21:37 em Geral

Flamengo definiu que irá buscar um treinador estrangeiro para substituir Renato Gaúcho, demitido na última segunda-feira, 29, após o vice-campeonato da Libertadores da América, diante do Palmeiras, em Montevidéu. Atento no mercado da bola, o Rubro-Negro tem o nome de Jorge Jesus como predileto não somente entre os integrantes da diretoria, mas também entre os torcedores. Com passagem vitoriosa pela Gávea, onde faturou a Libertadores (2019), o Brasileirão (2019) e outros títulos, o português está no comando do Benfica. O problema para a cúpula flamenguista, no entanto, é que ele tem contrato com os “Encarnados” até a metade do ano que vem e não deve deixar o clube em meio à disputa do Campeonato Português e da Liga dos Campeões da Europa – o time pode avançar às oitavas da competição continental. Além disso, o “Mister” e sua família precisariam ser convencidos a retornar ao território brasileiro.

De acordo com o repórter Rodrigo Viga, do Grupo Jovem Pan, outra opção cogitada pelo Flamengo é fechar com o argentino Marcelo Gallardo, responsável por revolucionar o River Plate e empilhar taças nos últimos anos – ao todo, sob a batuta do treinador, os “Millionários” ganharam 13 títulos desde 2014, sendo as Libertadores (2015 e 2018), o Campeonato Argentino (2021) e a Sul-Americana (2014) os principais. Vinculado ao clube de Buenos Aires somente até o fim deste ano, “El Muñeco”, como é conhecido, ainda não decidiu se irá continuar na Argentina ou escutar outras ofertas. Na mídia sul-americana, circula a informação de que ele poderia substituir Óscar Tabárez na seleção uruguaia, notícia essa que ainda não foi desmentida pelo técnico. Assim, o Rubro-Negro teria caminho livre para negociar com o profissional, mas precisa convencê-lo com uma boa oferta, tanto financeira como esportiva. Existe a possibilidade, ainda, de Gallardo querer dar outro passo em sua carreira, assumindo um time europeu – este movimento, vale lembrar, já foi feito pelos compatriotas Marcelo BielsaDiego Simeone e Maurício Pochettino, por exemplo.

COMENTÁRIOS
PUBLICIDADE